O Caso Tayná

Recebemos, hoje, a solicitação do Diácono Antonio Renato (foto), membro da Igreja Presbiteriana do Rio de Janeiro para que divulgássemos a situação abaixo, vivida pela jovem Tayná de apenas 19 anos de idade.

Nos escritos abaixo, o Diácono Renato apresenta informações sobre duas patologias enfrentadas por Tayná, bem como, sua luta e de todos, em prol de sua cura.

O irmão pede orações pelo tratamento e o restabelecimento da saúde de Tayná, bem como, busca a possibilidade de doação de medula óssea, doação esta que poderá ser feita em qualquer estado da federação.

Os que puderem se dispor, favor entrar em contato conosco que compartilharemos o contato do Diácono Renato.

De São Paulo, Diácono Eliezer Gomes

 

APLASIA DE MEDULA ÓSSEA OU ANEMIA APLÁSTICA GRAVE (AAG)

Na aplasia de medula óssea ou anemia aplástica grave (AAG) ocorre substituição do tecido medular normal por tecido gorduroso e, portanto, não há formação adequada das células sanguíneas normais. Os sintomas decorrem desta diminuição: anemia, infecções e sangramentos. Na maior parte dos casos, há um mecanismo imunológico que desencadeia esta alteração medular, porém também pode ser decorrente de drogas, exposição inadequada a substâncias tóxicas tais como agrotóxicos, entre outros.

TRATAMENTO

O tratamento da aplasia de medula óssea ou anemia aplástica grave (AAG) deve ser iniciado rapidamente e as duas melhores opções terapêuticas são: transplante de medula óssea ou a imunossupressão intensiva a depender da idade do paciente.

Foram 2 anos de tratamento sem sucesso, e agora o caminho é o transplante de medula óssea.

SÃO DUAS DOENÇAS AUTOIMUNE

A outra se chama Hemoglobinúria paroxística noturna (HPN) é uma anemia hemolítica crônica causada por um defeito na membrana das hemácias caracterizada pela presença de componentes das hemácias na urina (hemoglobinúria). Paroxística significa recorrente, com início e final brusco, sem aviso.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.