Arquivo do dia: Abril 12, 2011

A SALVAÇÃO EM SUA TOTALIDADE (1ª Parte)

Estamos vivendo o tempo no qual somos convidados a refletir sobre a vida e o sacrifício de Jesus. Neste propósito, não devemos buscar a pura satisfação da curiosidade pessoal, nem alimentar efêmeros e transitórios lamentos de dor pelo que aconteceu; devemos sim, com diligência e humildade, louvar a Deus pela nossa Redenção em Cristo e considerar todas as implicações da obra de Jesus para a nossa vida hoje. O anjo disse a Maria que Jesus nasceria para salvar “o seu povo dos pecados deles” (Mt 1.21). Portanto, Jesus estava comprometido com a salvação do seu povo. Concluída a sua missão na terra, Ele ordenou que os seus discípulos atentassem para os seus ensinos e anunciassem a Sua mensagem salvadora a todas as pessoas em todos os lugares.
Ao ordenar a pregação do Evangelho, Jesus adverte de que a mensagem da salvação devia ser anunciada em sua totalidade. Disse Ele: “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Mc 16.15). Aqui Jesus usa as expressões “todo mundo” e “toda criatura”. Isto indica a totalidade do alcance da pregação. No Evangelho de Mateus, Jesus disse: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações…” (Mt 28.19). Também aqui, a expressão “todas as nações” indica a totalidade do alcance da pregação.
Em seguida, ainda em Mateus, depois da ordem para que os seus discípulos fossem às nações fazer discípulos, Jesus completou: “…ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado” (Mt 28.20). Neste ponto Jesus declara que devemos ensinar “todas as coisas” que Ele ordenou. Aqui ele trata sobre o conteúdo do evangelho. Assim, o evangelho deve ser anunciado em todos os lugares, a todas as pessoas e expressar tudo quanto Jesus ensinou.
Ao pregar o evangelho não podemos ocultar nada do seu conteúdo. Temos que dizer toda a verdade e destacar todas as suas implicações. Ao pregar o evangelho devemos dizer ao homem o que ele precisa ouvir e saber, antes de falar sobre o que ele deseja ouvir e saber. No entanto, esta mensagem precisa ser proclamada com compaixão, misericórdia e amor. Não devemos ser “agressivos” ao confrontar a graça do evangelho com o modo de viver das pessoas que ainda não conhecem a mensagem da salvação em Cristo.

Pr. Estevão Domingos de Oliveira

Igreja Presbiteriana de Jaguaribe